top of page
Portada.png

A ÉTICA EM IA
PARA AMÉRICA LATINA

Um pequeno guia para start-ups e empresas

Desenvolvido por:

Logo_EON.png
Logo_CMinds_White_Hor_2020.png

Apoiado por contribuições de:

Logo_Meta.png

Sabia que...?
80% das empresas americanas encontraram problemas, apesar de já terem efectuado uma verificação de enviesamento ou testes de algoritmos.

Booklet_Mockup.png
Socios

Agradecemos aos nossos parceiros

PDF
O que é?

O QUE É?

Este guia procura fomentar uma cultura ética nos empresários e empresas que concebem, desenvolvem e implementam sistemas de Inteligência Artificial (IA) na América Latina, a fim de

Gerar um protocolo de prevenção e/ou minimizar os riscos.

Tomar o apropriado e proporcional e proporcional aos riscos.

Compreender e aumentar a sensibilização para identificar riscos potenciais e analisar o impacto das suas soluções.

Sob o escopo desta orientação, o uso ético da IA tem um duplo propósito: por um lado, significa colocar esta tecnologia a serviço da humanidade, em benefício da sociedade e para melhorar a vida dos seres humanos e, por outro lado, reduzir os riscos e impactos negativos não intencionais que o uso da IA pode gerar, seja devido a um projeto, desenvolvimento ou implementação deficiente, seja devido a uma aplicação inadequada.

IMPLEMENTAÇÃO GRADUAL DE BOAS PRÁTICAS

Clique em cada tema e descubra como adoptar estas práticas na sua organização.

Segurança e robustez

Equidade, inclusão e não discriminação

Transparência e explicabilidade

Privacidade

Responsabilidad e prestação de contas

Implementação

RAZÕES PARA ADOTAR PRINCÍPIOS ÉTICOS

1

Uma oportunidade de construir a confiança da sociedade na inovação e evolução tecnológica

2

Uma maneira de garantir a sustentabilidade da empresa

3

Uma vantagem competitiva e uma porta de entrada para novos mercados

4

Melhora o posicionamento da empresa para a obtenção de financiamento

Porquê adoptar?

PARA
QUEM É?

COMO USAR?

Para que é?
Sobre as

EMPRESAS PARTICIPANTES

Estas empresas partilharam a sua experiência e apoiaram na identificação dos desafios de implementação. Reviram também a brochura e partilharam recomendações para a reforçar.